Alikimista

Name:
Location: Portugal

Thursday, August 31, 2006

Coisa Amar

Contar-te longamente as perigosas
coisas do mar. Contar-te o amor ardente
e as ilhas que só há no verbo amar.
Contar-te longamente longamente.
Amor ardente. Amor ardente. E mar.
Contar-te longamente as misteriosas
maravilhas do verbo navegar.
E mar. Amar: as coisas perigosas.
Contar-te longamente que já foi
num tempo doce coisa amar. E mar.
Contar-te longamente como doi
desembarcar nas ilhas misteriosas.
Contar-te o mar ardente e o verbo amar.
E longamente as coisas perigosas.

Manuel Alegre

Sunday, August 27, 2006

Vamos conjugar o verbo...


Além da Terra, além do céu, no trampolim do sem-fim das estrelas, no rastro dos astros, na magnólia das nebulosas.
Além, muito além do sistema solar, até onde alcançam o pensamento e o coração, vamos!
Vamos conjugar o verbo fundamental essencial, o verbo transcendente, acima das gramáticas e do medo e da moeda e da política, o verbo sempreamar, o verbo pluriamar, razão de ser e de viver.
Carlos Drummond de Andrade.

Tuesday, August 22, 2006

Escreve-me


Escreve-me! Ainda que seja só Uma palavra, uma palavra apenas, Suave como o teu nome e casta Como um perfume casto d'açucenas! Escreve-me! Há tanto,há tanto tempo Que te não vejo, amor! Meu coração Morreu já,e no mundo aos pobres mortos Ninguém nega uma frase d'oração! "Amo-te!" Cinco letras pequeninas, Folhas leves e tenras de boninas, Um poema d'amor e felicidade! Não queres mandar-me esta palavra apenas? Olha, manda senão ...brandas...serenas... Cinco pétalas roxas de saudade...
(Florbela Espanca)

Wednesday, August 02, 2006

Até ao meu regresso...


Visitem este espaço, deixem os comentários e portem-se mal!
Beijo xl